Resgate no Chile: salvos pela tecnologia

posted Oct 8, 2010, 6:45 AM by Unknown user
Fonte: Revista Emergência

Resistir a um desabamento em uma mina de cobre e ser resgatado a 700 metros de profundidade, passados três meses, parece pouco crível. No Chile, graças à tecnologia, esse é um milagre possível. Quando novembro chegar, 33 mineiros devem voltar à superfície, retirados de um pequeno refúgio, onde ficaram isolados desde o desmoronamento na mina San José em Copiapó.


Será a realização de um sonho que parecia irreal em 5 de agosto, dia do incidente. Após duas semanas, já falava-se em tragédia e poucos apostavam em sobreviventes. Tudo mudou quando um papel amassado trazia, em tinta vermelha, 17 dias depois, as palavras de alívio: "Estamos bem no refúgio, os 33".

O recado enviado por um túnel de oito centímetros já existente disparou uma operação tecnológica em três frentes. Batizados de Planos "A", "B" e "C", três máquinas diferentes perfuram dutos com cerca de 70 centímetros de diâmetro que acessarão os operários. Por ali, um a um, os mineiros serão retirados com o auxílio de uma cápsula de resgate.

Confira a reportagem na íntegra na Edição 23 Outubro/Novembro da Revista Emergência



Equipe finaliza detalhes da operação de resgate de mineiros

Fonte: R7

Chile - A equipe de resgate responsável pela retirada dos 33 mineiros presos na mina de San José, no norte do Chile, finaliza os últimos detalhes da operação, aguardada para os próximos dias. Os trabalhadores estão soterrados a 700 m de profundidade desde o dia 5 de agosto - o que já representa um recorde -, exigindo cuidados redobrados por parte dos profissionais envolvidos no salvamento.

O líder da equipe de resgate, Ovidio Rodríguez Nuñez, afirmou nesta quarta-feira, 6, que seus homens estão preparados para a missão, considerada por ele como uma das mais difíceis de suas carreiras. Além do conhecimento técnico, que inclui decisões sobre como será feita a descida até o local onde os trabalhadores estão e o modo como eles serão retirados, Nuñez destacou a necessidade de preparo físico e mental.

A equipe de resgate será formada por dez especialistas em resgates da Codelco, empresa estatal responsável pela mina. Outros dois são da região de Atacama, onde a mina está localizada, e três são paramédicos da Marinha chilena. Segundo o engenheiro Rene Aguilar, "toda a equipe tem habilidades físicas e mentais para uma tarefa como essa, tanto quem trabalha sobre o solo quanto quem atua dentro da mina".

A experiência do grupo será um diferencial, levando-se em conta o fato de que a operação, segundo previsões, terá turnos de 12 horas. De acordo com o planejamento inicial, quatro especialistas ficarão na superfície, enquanto os outros descerão em duplas.

Uma cápsula, parecida com uma cela e apelidada de "Fênix", será testada ainda esta semana. Caso seja aprovada, servirá para resgatar, um a um, os mineiros. Um teste prévio, realizado em condições semelhantes às encontradas onde os trabalhadores estão confinados, foi considerado um sucesso.

Guindastes capazes de erguer até 400 ton já estão no local do resgate, aguardando o início da operação. Ainda falta concluir algumas medidas preventivas no buraco aberto pelas equipes de perfuração, como envolvê-los com aço, assegurando a segurança dos especialistas e dos resgatados.

Outros planos

Mais dois planos de resgate estão em andamento para a hipótese de que a operação prestes a começar enfrente problemas. A perfuração a 519 m do local dos trabalhadores soterrados, chamado de Plano B, alcançou 53 m em dez horas.

Foi neste mesmo local que os equipamentos de perfuração tiveram problemas no mês passado, depois de a broca ter colidido com uma viga dentro da mina. Após ser descartado, este plano foi retomado.

Já o Plano C conta com uma perfuradora usada em plataformas de petróleo, e já atingiu 314 m de profundidade. A expectativa é de que um desses dois planos também alcance os mineiros presos nos próximos dias, oferecendo novas opções de resgate.

Comments